Livros

Uma Canção de Ninar

Uma canção de ninar

Estou de volta, dessa vez com um resenha do livro que recebi da Editora Seguinte, Uma Canção de Ninar da autora Sarah Dessen.

O livro trás a história de Remy que não acredita no amor, depois de ver sua mãe passar por cinco casamentos e nenhum deles darem certo. Seu pai era um músico renomado que abandonou quando Remy era criança e a única coisa que deixou de lembrança foi uma canção sobre ela. Então, a protagonista adota uma linha de não fazer questão nenhuma de namorar músicos e que nem faz esforço para que seus relacionamentos muito até que tudo muda com a chegada do carismático Dexter.

Esse é o segundo livro da Sarah Dessen que eu leio, não havia curtido muito o livro Os Bons Segredos mas resolvi dar mais uma chance. A escrita de Dessen é muito boa, ela sabe desenvolver a narrativa, os personagens com uma linguagem bem simples e com características bem realistas para o público jovem. O dilema do amor é um dos pontos centrais da trama, mas engana-se quem acha que só se trata daquelas histórias onde a protagonista precisar saber se vai ficar com “o cara que vai fazer mudar de vida“.

Foi essa abordagem de mostrar as diferentes formas de amor  pelos olhos de Remy que transformação começa  e aos poucos ela passa dar uma nova chance aquilo que não acreditava mais. A percepção da protagonista muda conforme vamos avançando na história que é cheia de altos e baixos – afinal estamos lhe dando com uma protagonista jovem cheia de  dúvidas, medos e anseios – e conseguimos entender o tanto de endurecimento por não acreditar no amor como tantos acreditam. Como falei antes, não é só  amor casais é sobre o amor de amizade, de família e de atitudes que fazem com que temos empatia para aceitar as pessoas como elas são.

Uma Canção de Ninar é uma boa pedida para aquelas tardes de domingo, para ler sentado na varanda e apreciar o momento em volta e refletir sobre as diversas formas de amor.

Uma Canção de Ninar – Sarah Dessen
ISBN-13: 9788555340116
ISBN-10: 855534011X
Ano: 2016 / Páginas: 352
Idioma: português
Editora: Seguinte
Nota:4/5

E você, quais livros você tem lido? Acho o mês de setembro lindo e florido, da vontade sentar embaixo das árvores e passar uma linda tarde de sol lendo aquele livro preferido. 🙂

Redes Sociais:  FacebookTwitter Skoob.

Me siga no Snapchat: @daninhafarias

Livros

Espada de Vidro

DSC_0512

Oi, oi gente!

Aqui estou eu mais uma vez com resenha atrasada do livro Espada de Vidro, a continuação da série A Rainha Vermelha de Victoria Aveyard. Lançamento da Editora Seguinte – já faz um tempinho- temos aqui Mare dando continuidade a sua história,  indo atrás dos sanguenovos.

Sinopse: Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar.
O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.
Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.Fonte: Skoob

Enfim aqui temos a segunda parte da aventura de Mare, que ao meu ver foi cheia de altos e baixos. Se amei o primeiro livro, esse deixou um tanto a desejar pelo retrocesso do desenvolvimento da personagem principal onde vimos aqui uma Mare um tanto antipática e alguns momentos bem irritante. Não sei se isso foi proposital, mas gente que trabalho pra aguentar ela em certos momentos, tinha capítulos que eu revirava os olhos. Sei que temos uma personagem jovem que assumiu uma grande responsabilidade sem querer realmente levar isso adiante, mas circunstancias e as portas que se abriram para dar fim nesse fim regime opressor poderiam fazer com que Mare pensasse um pouco mais em sua família e no tempo em que ela vivia em Palafitas, mas a personagem acaba se fechando e atitudes que me deixaram um tanto decepcionada. Somente no final vemos uma pequena luz surgindo em Mare e talvez sua personalidade seja melhor trabalhada nos próximos livros afinal é preciso chegar a uma resolução na história, se Mare vai assumir suas responsabilidades por seus atos ou não.

Um dos pontos baixos da trama é que ela se arrasta e muito, especialmente nos diálogos entre Mare e Cal. Vindo dos acontecimentos do primeiro livro, temos o triângulo amoroso desfeito e para criar aquele clima de romance acabou temos em vários momentos, tanto Mare quanto Cal, ficam repetindo: “não podemos ter mais nada” “não podemos ter distrações” e “mimimi”. Queridos, cês não me enganam, Victoria pode ter deixado o romance de lado mas ainda tem algo aí que eu sei!

Agora os pontos altos são os sanguenovos e seus poderes diferenciados dos prateados. Temos vários poderes novos, muito interessantes porém só alguns são importantes para trama e vindo bem à calhar nas cenas de ação. Outro personagem aqui que fiquei surpresa, foi Kilorn, ele que não tem poder algum foi um dos que mais se destacaram e pode-se dizer que ele foi um dos responsáveis por trazer a  sanidade de Mare de volta.

A escrita da Victoria teve uma boa evoluída, abandonando os clichês de frases de efeito e mostrando o seu potencial de criar um universo próprio entre tantas histórias do gênero. A trama dos sangues prateados e vermelhos pode render muitas histórias boas sem ser do ponto de vista de Mare se autora não deixar a peteca cair nos próximos livros. Uma coisa que me deixou mais curiosa –e temos uma pequeno vislumbre disso nesse livro– é de como é divido esse mundo. Será que os sangues prateados são os dominantes do planeta todo? Como são outros países? Será que existem outros tipos de sangue? E como surgiu o sangue prateado? Como esse universo chegou a esse ponto? Acho que ter um livro da perspectiva de Cal também seria algo muito interessante para incrementar nesse novo universo.

SÉRIE A RAINHA VERMELHA: ESPADA DE VIDRO – VICTORIA AVEYARD
ISBN-13: 9788565765947
ISBN-10: 8565765946
Ano: 2016 / Páginas: 496
Idioma: português
Editora: Seguinte
Nota:3/5

SEGUINTE SUA LOCA! Acabei de entrar no site e descobri que a Editora Seguinte disponibilizou em e-book de forma gratuita os contos A Canção da Rainha (um conto sobre a Coriane a mãe de Cal), e Cicatrizes de Aço (conto com a visão de Farley da Guarda Escarlate) para baixar! *baixando* Ou você pode comprar o livro Coroa Cruel que trás esses dois contos e mais curiosidades sobre o mundo de Mare Barrow.

Quem aqui curte a série? Não esqueça de deixar um comentário abaixo, vamos conversar sobre o livro! ❤

Até o próximo post!

Redes Sociais:  FacebookInstagramTwitter Skoob.

Me siga no Snapchat: daninhafarias

Livros

Peter Pan

IMG_0351 Peter Pan

Olá leitores!

Como andam as leituras de vocês nesse mês de Janeiro? As minhas andam lentas porque esse calor todo dá uma moleza né? Odeio calor!

Mas enfim, vamos ao que interessa a minha segunda leitura do ano que foi o livro Peter Pan do autor J.M Barrie, um clássico da literatura infantil que ganhou uma versão lindíssima publicada pela editora Zahar.

Sinopse: Peter Pan transporta crianças e adultos pra um mundo mágico, povoado pela família Darling e pelos habitantes da Terra do Nunca – Peter Pan, os meninos perdidos, Sininho, o Capitão Gancho e seus piratas… Fonte: Skoob

Peter Pan é um clássico da literatura, isso é fato pela quantidade de produções baseadas na histórias que são feitas até hoje. Isso faz com que cada uma tenha sua versão, seu ponto de vista dependendo para qual tempo ela está sendo apresentada. Sendo assim, ao ler Peter Pan pela primeira vez, tive aquele contato de estranheza com o livro pois a versão Disney seguia firme forte pela  minha cabeça mas o que eu acabei encontrando aqui foi um Peter Pan arrogante, uma Wendy submissa e os meninos perdidos realmente perdidos.

Os personagens aqui tem uma abordagem diferente sobre a qual estamos a ver nas releituras, isso porque a época em que Peter Pan foi escrito esse era o pensamento de que as mulheres eram preparadas para ser donas de casa e mães, e enquanto os homens tem aquela figura de liderança e sabedoria. Antes de fazer resenha fui procurar mais sobre essa questão levantada na história e vi várias pessoas criticando a obra e direcionando-a como conteúdo machista o que me fez parar para refletir o que eu penso realmente sobre a história. Não creio que a história seja relacionada a isso mas sim ao período onde foi escrita, onde as mulheres viviam esse tipo de padrão imposto pela sociedade da época. Ao meu ver, obras clássicas como essa sempre trazem conteúdos a ser debatidos como uma crítica social aos padrões na época em foi escrita, como por exemplo em Mágico de Oz onde temos dezenas de referências em relação a política da época.

Cada personagem reflete um pouco do autor e das experiências de sua vida, Peter Pan aqui é a referência clara ao seu irmão que morreu em um acidente e por causa disso “nunca pôde crescer”, Wendy é aquela mãe que sempre estará lá para proteger seus meninos perdidos coisa que não aconteceu na vida de Barrie já que após a morte do irmão sua mãe entrou em profunda depressão deixando de lado os seus outros filhos. O Capitão Gancho pode ser aqui a figura que teve que se tornar adulto em meio a tantos problemas quando criança tendo assim essa figura de o ser mau e vilanesco.

A imaginação e o poder da crença em fadas  sobre uma terra onde se nunca cresce é umas das coisas mais legais do livro, onde pode-se soltar realmente a imaginação e fazer o que bem entender com ela e esse é um tipo de característica que se perdeu um pouco na literatura infantil ao longo dos tempos.

Tendo levantado diversos questionamentos desde a postura dos personagens, os padrões da sociedade e o poder da imaginação Peter Pan é uma obra que contribuir muito para a formação de caráter e na imaginação das crianças sem perder a sua beleza e inocência que é a infância.

Peter Pan – J.M. Barrie
ISBN-13: 9788537811535
ISBN-10: 853781153X
Ano: 2014 / Páginas: 253
Idioma: português
Editora: Zahar
Nota: 5/5

Sobre o autor

200px-James_Matthew_Barrie

James Matthew Barrie foi um escritor e dramaturgo escocês e uma das suas maiores obras é o clássico Peter Pan. Conta-se que a história originou-se através da amizade entre os filhos da sua amiga Sylvia Llewelyn Davies da qual foi levada as telas de cinema com o filme intitulado Em Busca da Terra do Nunca com Johnny Depp no papel de Barrie e Kate Winslet no papel de Sylvia.

Já leu o livro ou assistiu o filme? Me conte o que você acha desse clássico!

Aguardo seu comentário e até o próximo post!

Redes Sociais:  FacebookTwitter Skoob.

Livros

13 Palavras

IMG_0374 Lemony

Olá!

Nesse mês chegou mais um livro de parceria, o livro 13 Palavras do nosso querido escritor agridoce Lemony Snicket em parceira com a Maira Kalman.

13 Palavras, foi publicado pela Companhia das Letrinhas o selo infantil e da Companhia das Letras. A história é sobre uma Passarinha melancólica e seu amigo Cão que saí em uma jornada para buscar algo para animar a pequena Passarinha. No meio do caminho, o Cão encontra várias coisas inusitadas como um Nenê sendo dono de uma loja de chapéus e um Bode motorista de um carro conversível, despertando assim a imaginação do leitor.

Outro ponto forte do livro são as incríveis ilustrações de Maira Kalman, que possui um traço realmente encantador. Tirei algumas fotos do livro para vocês verem.

IMG_0376 Snicket IMG_0379 Palavras IMG_0380 Livro IMG_0381 IMG_0382 CIa IMG_037713

Contando com 13 palavras aleatórias, temos uma singela história sobre amizade e companheirismo além de ser um livro super colorido e ilustrativo que com certeza irá encantar crianças de todas as idades.

13 Palavras – Lemony Snicket e Maira Kalman
ISBN-13: 9788574065816
ISBN-10: 8574065811
Ano: 2013 / Páginas: 40
Idioma: português
Editora: CIA DAS LETRINHAS
Nota:5/5

Sobre o autor

lemony

Lemony Snicket é mais velho do que você e deveria saber das coisas. Autor dos livros Desventuras em Série, Raíz Forte, Autobiografia não autorizada e 13 PalavrasSite Oficial

 

 

Sobre a ilustradora


200px-Maira_kalman_2010Maira Kalman
é uma ilustradora americana e sua obra mais conhecida é Fireboat onde a própria escreveu e ilustrou. Redes Sociais: Site Oficial

 

 

Espero que tenham gostado e até o próximo post!

Redes Sociais:  FacebookTwitter Skoob.